Ser Ogan (quem toca os atabaques), não é fácil, além dos vários toques de atabaques na Umbanda e pontos que ele precisa aprender, ele ainda é o responsável pelo terreiro na ausência do dirigente, quando digo ausência, quero me referi ao dirigente estar incorporado, neste caso que comando o terreiro e a gira é o Ogan.

Se os toques de atabaques na Umbanda e o Ogan não estiverem firmes e preparados, muita coisa ruim pode acontecer em uma gira, desconcentração dos médiuns, entrada indesejada de obsessores, falta de firmeza na corrente, enfim, o Ogan precisa saber quando e como intervir para que a gira aconteça de forma tranquila e satisfatória.

Tipos de Toques de Atabaques na Umbanda

São três tipos de toques de atabaques na Umbanda, o RUM, RUMPI e LÊ.

  • RUM é o maior atabaque e possui o som maior e mais alto
  • RUMPI é o segundo maior atabaque e possui um som médio, ele responde os toques do atabaque RUM
  • LÊ é o atabaque do iniciante, ele tem um som mais agudo, que acompanha o RUMPI

Os atabaques, são quase uma entidade na Umbanda, tamanho o respeito que temos por eles, são cobertos com pano branco, quando não estão sendo usados, e todos os médiuns fazem reverencia aos atabaques.

Consulte os Búzios e o tarot online via chat

Tipos de toque dos atabaques na Umbanda

Existe muitos toques de atabaques na Umbanda, vou falar apenas dos principais e mais usados.

Em outros estados os toques de atabaques na Umbanda têm outros nomes, falaremos então dos nomes de São Paulo.

Toque de marcação: usamos este toque para saudar alguma entidade que se aproxima dos atabaques quando estão em terra. Mas ele pode ser usado em uma outra mistura para base de qualquer ponto cantado, diferente do dobrar o couro (repique nos atabaques lento, cadenciado e sequencial), quando dobramos o couro é porque o terreiro está recebendo uma visita ilustre, como um Pai de Santo de outra Casa.

Se fossemos ler os toques teríamos oito posições que seriam: TA TUM TUM TA TUM TUM TUM TUM.

Toque Nagô: este toque está inserido em quase todos os pontos cantados para quase todas as entidades.

Se fossemos ler os toques teríamos em oito posições: TUMMM TA TA TUM TA TA TUM TUMMM

Toque Barra Vento: este toque é rápido e usamos muito para a chamada de Iansã, apesar de conter apenas 6 toques, eles são rápidos e no geral difícil de aprender.

Lidos ficariam assim: TA TA TA TUM TUM TUM, a ênfase aqui se da, no segundo TA e segundo TUM, isto faz toda a diferença.

Toque de Angola: é um toque de capoeira, ele é tocado para algumas entidades principalmente para os Baianos. Se fossemos ler teríamos um toque de 12 posições, TUMMM TA TUM TA TUM TUM TA TA TUM  TA TUM TUMMM.

Toque Ijexá:este é um toque para a chamada de Mamãe Oxum, e mantido quando está em terra.

Se fosse lido literalmente ficaria assim: TA TA TUMMM TA, apenas 4 posições que se repetem.

Toque Congo de Ouro: é um toque consagrado ao Orixá Pai Ogum, para sua chegada e permanência no terreiro.

Lido ficaria assim: TUMMM TA TA TA TUM TUM TA TA TA TA TUM TUMMM, com 12 posições de toque.

mapa numerologico

Outros tipos de toques

Além destes toques ainda temos os toques para defumação que o toque vai de acordo com o ponto, que pode ser marcação, nagô.

O toque para bater cabeça (cumprimentar o conga e se colocando à disposição para o trabalho daquela gira), que pode também ser de marcação ou qualquer outro ritmo, pois vai depender do ponto cantando.

Ponto de abertura da Gira que pode ser no toque samba, isto tudo depende do ponto a ser cantado.

Ponto se sustentação, o Ogan percebe como está a gira, e ele conduz os pontos, para equilibrar, energizar ou afastar energias ruins, e o toque ele é que escolhe, quando precisamos afastar alguma coisa da casa, e dos trabalhos é o barra vento que é tocado, pois é mais rápido e a energia circula de forma mais rápida.

Ponto de encerramento, que pode ser o de marcação ou qualquer outro que o Ogan escolher, que vai também depender do ponto cantado escolhido por ele, ou pelo Pai da Casa.

toques de atabaques na umbanda

Conclusão:

Tudo que usamos na Umbanda tem um fundamento e uma razão de ser, os toques de atabaques na Umbanda são fundamentais para o bom trabalho, além é claro de trazer muita alegria.

Mas o mais importante de tudo isto, é que unimos forças com o mundo espiritual quando estamos cantando, dançando e batendo palmas.

Pessoas que têm a clarividência, conseguem ver sair das palmas das mãos energias em fora de raios, isto porque cada ponto de nossas mãos, ativa um chacra e com isto ativa uma energia.

Se todos estão imbuídos dos mesmos sentimentos e embalados pelo mesmo som, tanto do atabaque como das palmas e das palavras, teremos um trabalho de muita firmeza.

O atabaque é ritualístico dentro da Umbanda e não apenas um instrumento de som, pois ele por si só produz vibrações energéticas.

Um trabalho sem atabaque ou curimba como chamamos, é muito ruim, as entidades trabalham como tem que trabalhar, mesmo faltando este grande apoio energético.

É gostoso ver uma entidade chegar perto do couro (é assim que eles chamam os atabaques), e puxar um ponto, mais bonito ainda é depois de puxar o ponto ele sair dançando.

E tudo com um fundamento, nenhum ponto é cantando sem que seja preciso para mover energias.

Já visitei algumas casas que não usam os atabaques, não por falta de Ogans, mas porque preferem apenas cantar e bater palmas, não que não funcione, mas fica muito triste.

Mas cada casa trabalha conforme lhe foi passado pela espiritualidade e tipo de Umbanda que pratica.

Porém se soubessem da força que têm os atabaques, junto com os pontos, adotariam o uso dos atabaques com certeza.

Como disse antes, os Toques de Atabaques na Umbanda são sinal de Alegria.!

Gostaram o artigo?

Se sim, compartilhe em suas redes sociais.

Ficou com alguma dúvida, ou quer fazer algum comentário ou sugestão?

Mande-nos um e-mail e teremos o maior prazer em responder.

Até o próximo artigo.