novembro 10, 2020

Obá – A orixá da justiça

Obá é a orixá considerada a deusa feminina da justiça e do equilíbrio, por ter sido a primeira esposa de Xangô, orixá rei da justiça.

Ela tem sua origem africana do Rio Oba ou rio Níger, e seu campo de atuação é nas pororocas, as águas fortes, ou em lugares de quedas d’água provenientes de uma pedreira. Não se deve confundir esses domínios com o de Oxum, orixá do amor e da riqueza, que vem das cachoeiras e águas doce de rios.

Além disso, Obá anda ao lado de Nanã Buruquê, orixá senhora da sabedoria e a mais velha entre todos os orixás, por isso também tem domínio sobre o barro e as enchentes.

Obá – A orixá da justiça

Suas vestimentas sempre aparecem nas cores marrom, vermelho e amarelo e seus símbolos – Ofange (espada), escudo e Ofá (arco e flecha) – em cobre.

Traz como elementos o fogo e as águas revoltas e seus campos de atuação são o amor e o sucesso profissional feminino.  Suas oferendas são o acarajé de formato único, o aberém, o feijão fradinho e o Amalá (caruru de quiabos).

Sua saudação é Obá Siré! Essa saudação significa: Rainha Poderosa!

Por possuir grande força física, ela representa o poder feminino da luta, sendo a orixá defensora dos injustiçados, porém tem um grande ponto fraco: o amor.

Por isso,  dizem que Obá é a maior representação do sagrado feminino na Terra, tomando-se em consideração a variedade de sentimentos, fortalezas e fraquezas

Ou seja, as Filhas de Obá são corajosas, estão prontas para enfrentar o mundo, mas se desmontam quando encontram sua verdadeira paixão.

É uma Orixá com um estereótipo de batalha, guerreira e combatente de todas as injustiças, e é por isso que sempre esteve junto a Xangô em todas as disputas que ele teve que enfrentar, sendo responsável por grande parte de suas vitórias.

O seu sincretismo é com a santa Joana D’Arc e Santa Catarina de Siena, pela representação de mulheres de força, guerreiras que lutaram e defenderam o que acreditavam, sem se importarem com os olhares opressores e com o que lhes podia ocorrer. Não temiam nem mesmo a morte.

Sua comemoração ocorre em 30 de maio

Seu dia da semana é a quarta-feira.

História de Obá

São muitos os mistérios e lendas que envolvem a vida da orixá Obá. Vamos apresentar aqui as principais.

Obá e Ogum

Obá e Ogum

Uma das primeiras lendas gira em torno de suas grandes batalhas e todas as suas vitórias, já que se conta que ela derrotou todos os deuses que a enfrentaram, exceto um, que a fez perder uma luta: Ogum.

O orixá do ferro e da abertura dos caminhos, senhor da guerra vencida contra um dragão com apenas uma lança, foi mais esperto do que Obá na hora do combate.

Conta a lenda que, antes da batalha, Ogum consultou Ifá (orixá da adivinhação e do destino) e sua previsão foi de que, se ele fizesse uma pasta com duzentas espigas de milho e muito quiabo, despejando-a em um canto da arena da luta, ele venceria.

Ogum seguiu o conselho de Ifá e assim venceu a luta contra Obá, fazendo-a escorregar em um canto da arena sobre a comida preparada por ele. Com a derrota, a orixá se entregou em casamento a Ogum, apesar de não amá-lo de verdade.

Em um certo dia de disputa, Xangô apareceu e fez o coração de Obá disparar, sentindo pela primeira vez o grande amor verdadeiro.

Ao descobrir o amor por Xangô, imediatamente a orixá se separou de Ogum e casou-se com o grande rei da justiça e das pedreiras.

Contudo, este amor e seu casamento a transformou em uma mulher muito possessiva e ciumenta, e apesar de ser uma eximia guerreira, passou a apresentar grande descontrole emocional, fazendo qualquer coisa para chamar a atenção de Xangô.

Obá e Xangô

Um dia, Xangô conheceu Oxum, a linda deusa orixá das cachoeiras e águas doces e Obá, sentindo muito ciúme e inveja, começou a perceber que estava perdendo o seu marido.

Ela se questionava, mas não conseguia compreender o porquê, já que Oxum não era uma guerreira, e quem corria os riscos nas batalhas sempre ao lado de Xangô era ela.

Então, decidiu perguntar a Oxum o que ela fazia para encantar tanto o seu esposo.

Notando a inocência de Obá, ela disse que era o seu Amalá (comida ritual de Xangô, Iansã, Obá e Ibeji – é feita com quiabo cortado, cebola ralada, pó de camarão, sal e azeite de dendê ou azeite doce, sendo oferecido em uma gamela forrada com massa de acaçá), que ela preparava com um feitiço, o que o prendia.

Ela passou a receita do prato para Obá e a avisou que o principal ingrediente era inserido ao final do preparo, quando ela deveria acrescentar a própria orelha como oferenda ao amor dos dois.

Esperançosa com relação à eficácia do Amalá, Obá não notou que Oxum tinha as duas orelhas e que aquilo tudo era uma grande armação, então foi rapidamente preparar o prato e cortou a própria orelha esquerda, misturando-a aos ingredientes e servindo tudo a Xangô.

Quando o orixá notou que a orelha de Obá estava na comida, ele ficou furioso, bradando de forma feroz como um leão, do alto da pedreira, contra as duas Orixás.

O tremor foi tão grande que ambas saíram correndo do reino, apavoradas, e viraram dois rios que correm paralelos e recebem o nome de cada uma. Quando suas águas se encontram, eles ficam com ondas muito fortes, devido à disputa das duas pelo amor de Xangô.

Por conta dessa história, é comum ver imagens de Obá com a mão no ouvido ou com um tecido na cabeça.

Isso se deve ao fato de ter cortado a própria orelha como prova de amor a seu esposo Xangô.

Além disso, como prova de sua devoção, ela sempre carrega junto a si as brasas das festas de Xangô.

Quando estão em uma gira, as Filhas de Obá e Oxum não podem ficar próximas umas das outras em uma roda, devendo ficar sempre o mais distante possível.

Características dos Filhos de Obá

Aqueles que carregam em suas coroas essa grande orixá geralmente possuem uma personalidade forte, estando sempre prontos para guerrear e enfrentar qualquer batalha da vida, sem esmorecer, até mesmo diante das derrotas.

Como lado negativo, são um pouco antissociais e não fazem amizade facilmente, pois são muito sinceros e chegam a ofender com suas opiniões, pois não escondem nada do que pensam, nem planejam o que dizer.

São pessoas extremamente fiéis aos poucos amigos que possuem e principalmente em seus relacionamentos amorosos. Quando estão amando de verdade e sentem que são correspondidos, se entregam de corpo e alma, fazendo verdadeiras loucuras pelo amado(a).

No entanto, caso sintam que estão sendo descartados ou traídos, se tornam amargurados e muitas das vezes submissos para tentarem ter o companheiro(a) de volta, abrindo mão de qualquer amor próprio.

As filhas de Obá, pelo poder feminino e seu lado de justiça, são mulheres de muita garra e sucesso nas áreas profissionais que escolhem.

São excelentes juízas e advogadas, ótimas em tudo o que envolva a lei ou então o condicionamento físico. Como Obá é uma guerreira, podem ser boas atletas.

Oferendas a Obá

Oferenda a Obá

Obá adora o som do bater da água do rio no mar, por isso sua comida preferida geralmente tem ingredientes de água salgada.

Já suas quizilas (tudo o que o santo de cabeça do médium em iniciação determina que não se pode comer ou fazer, durante um curto ou longo período da sua vida) são: sopa, cogumelo e peixes de água doce.

Moranga para Obá

Ingredientes:

  • 500 gramas de camarão fresco;
  • 1 moranga;
  • azeite de dendê;
  • um maço de língua de vaca;
  • 1 cebola.

Como preparar: Cozinhe a moranga inteira, e quando estiver pronta faça um corte na parte de cima, como uma tampa, abra e retire todas as sementes.

Em uma frigideira, refogue a cebola com o dendê, em seguida acrescente os camarões e a língua de vaca cortada em tiras. Despeje tudo dentro da moranga. O prato pode ser oferecido com Champagne, a bebida preferida da Orixá.

Feijão com Camarão Seco

Ingredientes:

  • farinha de mandioca;
  • 500 gramas de camarão seco socado;
  • azeite de dendê;
  • 1 cebola;
  • feijão fradinho.

Como preparar: cozinhe o feijão somente com água. Enquanto isso, faça um refogado com a cebola e o azeite de dendê, acrescente o camarão seco e água.

Assim que o feijão ficar pronto, misture-o no refogado e acrescente por último a farinha, até obter a consistência de um pirão. O prato pode ser oferecido com Champagne.

Importante lembrar que toda oferenda deve ser orientada por um dirigente da religião, pois cada orixá possui suas peculiaridades, que devem ser respeitadas e guiadas por quem os conhece após anos de prática na religião.

Oração a Obá

Obá siré! senhora das águas tempestuosas, ajudai-me a vencer os obstáculos em minha vida profissional e financeira.

Obá siré! com vosso ofange, afasta meus inimigos e todos aqueles que desejam o mal para meus caminhos e daqueles que tanto amo.

Obá siré! poderosa orixá que rege o amor, protege minha vida amorosa e traga sempre o entendimento ao meu relacionamento.

Obá siré! poderosa guerreira, dai-me coragem e força para enfrentar os desafios diários e permanecer serena com todos os que cruzarem meus caminhos.

Obá siré!

Gostou do artigo? Comente aqui e compartilhe em suas redes sociais!

Gratidão, paz e luz



Dúvidas no Amor?


Nossos Tarólogos Online respondem tudo!


A partir de R$ 9,90

Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas agora mesmo!


Veja também...

setembro 20, 2021

agosto 13, 2021

julho 23, 2021

>