agosto 6, 2020

Corpo Etérico: uma duplicata mais sutil do corpo físico

COMPARTILHE

O que é o Corpo Etérico?

O corpo etérico, ou corpo etéreo, vital ou energético, são nomes dados a um corpo mais sutil do ser humano, mas ainda próximo da matéria.

As pesquisas sobre ele no ocidente começaram a ser mais intensas a partir do desenvolvimento do movimento teosófico do final do século XIX.

A base para as teorias e estudos sobre o o corpo etérico estão nas religiões, filosofias e práticas místicas orientais e da antiga Grécia.

Pode-se dizer que é o primeiro e o mais baixo nível no campo energético do ser humano. Engloba a energia colorida e maleável que existe à nossa volta e que é chamada de aura.

Uma de suas funções seria a de organizar e estruturar o corpo físico, ajudando na manutenção das funções vitais.

Corpo-etérico-Corpos-sutis

Significado do termo e história

O adjetivo etérico refere-se ao elemento clássico conhecido na Grécia antiga como éter, um elemento sutil e incorruptível respirado pelos deuses olímpicos.

Também foi objeto de estudo da física platônica e aristotélica, que o contava junto com os outros quatro já são conhecidos, ou seja, terra, água, ar e fogo. O éter seria o mais sutil dos cinco

O conceito continuou a ser usado nas teorias científicas vitorianas do século XIX para explicar a propagação da luz, sendo assimilado a um produto químico.

O termo éter depois reaparece nos escritos teosóficos de Madame Blavatsky, mas seu uso foi formalizado por seus seguidores Charles Webster Leadbeater e Annie Besant.

Há escolas e doutrinas espiritualistas que chamam o corpo etérico também de perispírito. Ou seja, é o órgão mediador entre as percepções dos sentidos e a mente espiritual do homem.

Ou o chamam então de duplo etérico, sendo basicamente uma duplicata mais sutil do corpo físico. Os chakras estão localizados nele.

O corpo etérico segundo a Teosofia e as tradições da Índia

Segundo os teosofistas, o corpo etérico se forma  no momento da encarnação, a partir de uma dimensão que eles chamam de plano etérico, superior ao físico: para a Teosofia, é uma matéria extremamente rarefeita e sutil.

O éter foi definido em referência ao sistema metafísico da Índia, aproximando-o ao termo prana,  que significa “respiração vital”.

Esse corpo constitui um dos envelopes sutis (kosha) do espírito humano. no campo do pensamento da filosofia indiana do Vedanta.

O Prana em particular seria esse tipo de energia funcional para nutrir a dimensão psíquica, que por sua vez nutre o corpo físico.

O corpo etérico segundo o cristianismo e o judaísmo

Na tradição cristã ocidental, o corpo etérico pode ser associado ao termo grego Soma usado por Paulo de Tarso para indicar a parte vital e incorruptível do corpo humano, enquanto com o termo Sarx ele indicava seu aspecto material e mortal.

No sistema da Cabala Hebraica, é frequentemente relacionado ao nephesh, e entre as Sephiroth da árvore da vida a Yesod.

O corpo etérico segundo Rudolf Steiner.

Corpo-Etérico-segundo-Rudolf-Steiner

Rudolf Steiner, inicialmente um seguidor da teosofia e mais tarde fundador da antroposofia, ao se propor a investigar a evolução humana e cósmica com a abordagem rigorosa de uma “ciência espiritual”, frequentemente descrevia o corpo etérico (em alemão Ätherleib) como o envelope que contém o forças formativas do organismo humano.

Segundo Steiner, para uma pessoa com clarividência, ele teria a cor padrão de uma flor de pêssego.

Chamando-o também de “corpo vital”, Steiner o considera essencialmente como aquele veículo que dá vitalidade ao organismo.

Ele o associa, embora com muitas distinções, ao conceito de força vital de que os cientistas falavam na primeira metade do século XIX.

O corpo etérico segundo os Rosa-Cruzes

De acordo com os escritos rosacruzes de Max Heindel, o corpo etérico é uma contraparte exata de nosso corpo físico, molécula por molécula e órgão por órgão, mas de polaridade oposta.

É um pouco maior, estendendo-se aproximadamente um centímetro e meio além da periferia do corpo físico. É a porta de entrada para o poder do Sol e o campo em que os elementais da natureza operam.

Eles promovem atividades como assimilação, crescimento e propagação. É então chamado também de “corpo vital.”

Segundo a doutrina rosa-cruz, a capacidade reprodutiva e especificamente sexual também provém do corpo etérico. Ela começa no nível energético. Enquanto os desejos relacionados a essa esfera emanam do corpo astral.

Uma diferença em relação ao corpo físico é que, nos homens, o corpo etérico seria feminino, enquanto que nas mulheres, onde o fenômeno é revertido, seria masculino. Tudo por uma questão de magnetismo e polaridade.

Funções e características do corpo etérico

A separação do corpo etérico do físico é o que, de fato, no plano visível, determina a morte. Quando o corpo etérico se desintegra e suas partículas se separam do corpo físico, não há mais molde e sustentação para nutrir e manter os órgãos do corpo material.

O aparecimento de uma doença é igualmente determinado pela falta de proteção do corpo etérico, no qual residem as forças naturais de cura e autocura, anteriormente chamadas por Hipócrates vis medicatrix naturae, ou seja, o caminho de cura da natureza.

Por exemplo, quando se tem um câncer, ele primeiro vai se manifestar como um defeito no plano etérico, para depois atacar o físico. E o mesmo se aplica a uma doença do coração, por exemplo.

A menos que ocorra um acidente muito grave e de forte impacto que danifique um ou mais órgãos do corpo físico, as doenças sempre começam em um nível mais sutil.

Plantas e animais também possuem corpos etéricos, mas mais simples do que os do ser humano. Também possuem chakras e nadis e meridianos, estes dois últimos os canais das energias sutis que percorrem o corpo etérico, e que são estudados no yoga e na acupuntura.

A necessidade de dormir todas as noites, por sua vez, se deve ao fato de que o corpo astral consome o corpo físico do homem durante o dia, fazendo com que ele fique predisposto a doenças.

Assim, à noite é preciso que o corpo astral se separe do corpo físico.

O corpo físico permanece na cama ligado ao corpo etérico, que trabalha para restaurar suas forças e energias.

Sensações relacionadas ao corpo etérico.

Separação-corpo-etérico

Uma das sensações detectáveis e perceptíveis do corpo etérico é a sensação de formigamento que às vezes é sentida quando um membro permanece entorpecido devido à falta de suprimento sanguíneo após ficar numa posição incorreta.

Ocorre então essa sensação também devido a um distanciamento parcial entre os corpos etérico e físico.

O mesmo pode ser sentido no momento da morte, quando esses dois corpos, que no decorrer da vida sempre permaneceram bem conectados, se separam.

Quando se dá a paralisia do físico, abandonado pelo etérico, a parada do coração e dos pulmões pode gerar uma espécie de asfixia acompanhada de imenso terror, se a pessoa não estiver preparada para a passagem.

Como perceber o corpo etérico e o plano etérico

A observação do corpo etérico pode ocorrer, de acordo com os ensinamentos teosóficos, quando é possível ativar o chamado “terceiro olho”. Ou seja, quando é aberto o chakra da visão.

Abrir esse chakra também pode permitir a visão de seres conhecidos como Devas.

Estes seriam os espíritos encarregados de guiar a evolução e o crescimento das plantas. Residiriam nas atmosferas dos planetas ou do Sol.

Geoffrey Hodson foi um místico que, guiado por sua própria clarividência, retratou a aura etérica desses seres, cuja aparência ilustrada é semelhante a enormes chamas coloridas.

Os Devas e os Anjos, de acordo com a teosofia, têm vários corpos áuricos, muito elevados, mas não têm corpos físicos. Estão imersos na dimensão etérica, onde também circulam os elementais ou espíritos da natureza, conhecidos como gnomos, ondinas, sílfides, salamandras e fadas.

Seres que também podem ser vistos se o terceiro olho for ativado.

Como fazer isso? Através da prática de exercícios espirituais, da meditação e da oração.

Esse é o caminho para se conhecer realmente não só o corpo etérico, mas todos os diversos corpos da existência humana.

Gostou do artigo? Comente aqui e compartilhe em suas redes sociais.


Compartilhe!


VT-Post-Vanessa-Ramos

Marcello Salvaggio


Sou escritor e pesquisador nas áreas da religião, da literatura, do misticismo e da história.
Considero a espiritualidade a chave fundamental para o entendimento de nossas vidas, para encontrarmos o verdadeiro sentido de nossa existência, e todo meu trabalho é orientado nesse sentido.
Tenho livros publicados no Brasil e na Itália e sou formado em Letras pela USP e auricoloterapia pelo instituto EOMA, escola especializada em acupuntura e em outros ramos da medicina tradicional chinesa.
No campo da terapia e do aconselhamento, considero essenciais a empatia e o respeito ao livre-arbítrio alheio.


Veja também...

setembro 28, 2020

setembro 25, 2020

setembro 14, 2020

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"b4fbe":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"b4fbe":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"b4fbe":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
Publicação Anterior
__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"b4fbe":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"b4fbe":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"b4fbe":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
Próxima Publicação

Deixe seus comentários...

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>