maio 10, 2021

O chakra cardíaco: Chakra Anahata

Características gerais:

Características gerais

Localização: No centro do peito

Função: Amor, humildade, compaixão, generosidade, abertura aos outros

Cor: verde

Elemento: Ar

Sentido: Tato

Cristais e pedras: Todas as pedras verdes, em particular a turmalina e a aventurina

Mantra: Yam

Nota: Fa

Animal: Antílope

O chakra do peito (em sânscrito Anahata) é o quarto de nossos chakras, também conhecido como chakra do coração ou chakra cardíaco por sua posição junto ao órgão cardíaco.

Está localizado no centro do esterno e governa todos os órgãos e membros localizados nas proximidades dessa área, ou seja, o coração e sistema circulatório, mas também pulmões, timo e membros superiores.

Seu nome em sânscrito significa “não atingido”, o que literalmente indica um som produzido por dois elementos que não se chocam, um não atinge o outro, e refere-se à reunião entre o plexo cardíaco e o pulmonar, onde duas importantes funções vitais convivem sem uma atrapalhar a outra.

O chakra cardíaco a está de fato conectado aos nossos sentimentos mais puros e altruístas, como altruísmo, humildade, confiança, compaixão, caridade e perdão

É representado como um lótus verde, com doze pétalas, nas quais estão inscritas consoantes sânscritos.

O elemento que representa esse chakra é o ar, que une o céu e a terra, e a cor que está associada a ele é o verde, que representa harmonia e bem-estar.

Sinais de problemas no chakra cardíaco

O chakra cardíaco: Chakra Anahata

Quando o chakra cardíaco está bloqueado, nossa atitude em relação ao próximo é claramente afetada: tendemos a ficar desconfiados e excessivamente paranoicos, lutando para confiar nos outros.

O ciúme, tanto no caso de um parceiro amoroso como de amigos, tende a ser excessivo. Não queremos que a pessoa conviva com mais ninguém. Nos julgamos donos dela. E muitas vezes não agimos assim por muito amor, e sim por posse e ego. Não admitimos “perder” alguém para outra ou outras pessoas.

Na vida, alimentamos uma crescente indecisão que nos torna pessoas cheias de dúvidas. Ficamos abatidos sem motivo. Começamos a temer e evitar manifestações de afeto o máximo possível, não nos sentindo dignos de receber amor. Podemos desenvolver ansiedade em nossos relacionamentos sociais.

Mesmo quando o chakra cardíaco está excessivamente aberto, há consequências desagradáveis.

Em um caso, podemos nos dar tanto, mas tanto, que esquecemos de nós mesmos. Nos entregamos de forma ingênua aos outros e deixamos que nos explorem, que abusem de nossa boa vontade.

Em outro caso, tentamos ajudar os outros de uma maneira que não é completamente desinteressada, apenas com base nos reconhecimentos que obteríamos através da ajuda.

É possível que nesse contexto usemos a gratidão do próximo a nosso favor, pedindo favores o tempo todo só porque o ajudamos no passado.

Cobramos dívidas. Como se alguém se tornasse para sempre nosso devedor por causa de uma ajuda prestada. Uma ajuda que a outra pessoa provavelmente considerava desinteressada.

A necessidade de doar, nessa situação, está ligada ao nosso egoísmo, e acabamos culpando os outros por nossos fracassos e decepções.

As consequências físicas negativas de desequilíbrio no chakra cardíaco envolvem os órgãos presididos pelo chakra, isto é, coração e pulmões, causando problemas como pressão alta, asma, insônia e aumentando o risco de doenças cardíacas e pulmonares.

Sintomas que o chakra cardíaco está equilibrado

O chakra cardíaco: Chakra Anahata

Quando o quarto chakra está aberto e equilibrado, nossa generosidade, abertura aos outros e empatia se beneficiam dele: somos capazes de amar e nos entregar, de doar a nós mesmos, sem nenhum segundo objetivo, sem segundas intenções.

Nos sentimos equilibrados e em harmonia com o resto do mundo e com a humanidade.

Sentimos equilíbrio corporal e mesmo as tarefas físicas são mais fáceis de realizar.

É o chakra ligado ao amor e através dele, se estiver harmonizado e aberto, nossa relação com o nosso parceiro se torna muito mais intensa e benéfica para os dois. Aqui o amor vai muito além do físico, é um amor de intensificação e pureza dos sentimentos mais elevados.

Está ligado ao amor crístico, que cura e regenera sem pedir nada em troca.

Quando este chakra está em harmonia, não nos cobramos em excesso nem cobramos os outros. Ficamos satisfeitos com nós mesmos, com o que temos e o sentimento de amor à vida e ao próximo tende a prevalecer.

Exercícios para reequilibrar o chakra cardíaco

Exercícios para reequilibrar o chakra cardíaco

A melhor maneira de manter o chakra cardíaco aberto e equilibrado é usar os cristais associados a ele, ou seja, as pedras de cor verde (como a esmeralda e a aventurina), durante uma meditação.

É o suficiente colocar a pedra escolhida na área do coração, enquanto se está deitado de barriga para cima, com a cabeça voltada para o leste.

Então medite pelo tempo que considerar necessário, enquanto estiver se sentindo bem.

No Hatha Yoga, há um asana (postura corporal) que nos ajuda a desbloquear o chakra cardíaco,o Anahata.

Khatu Pranam

Este exercício, que harmoniza corpo, mente e alma, é o resultado de pesquisas realizadas ao longo de muito tempo. Na fase inicial da prática, é dada atenção aos benefícios físicos.

O Khatu Pranam fortalece, estende e relaxa os músculos de todo o corpo, promove a flexibilidade da coluna e regula a atividade glandular.

Fortalece o sistema imunológico, que por sua vez aumenta a resistência a doenças. Psicologicamente, nos ajuda a ficarmos mais abertos à compaixão e perdão.

Toda a sequência do Khatu Pranam é revigorante e leva ao equilíbrio de corpo, mente e alma.

Para praticá-lo, sente-se na posição Vajrasana, ou seja, descansando de joelhos sobre o chão, com as costas retas e os calcanhares debaixo das nádegas.

A parte superior do corpo e a cabeça ficam retas e alinhadas. Suas mãos descansam em suas coxas.

Então siga os seguintes passos:

1 – Levante os braços acima da cabeça. Coloque as palmas das mãos juntas e levante a cabeça para olhá-las.

2 – Mantendo as costas retas, vire as palmas das mãos para a frente e lentamente comece a dobrar para a frente, empurrando com os quadris, até que os braços e a testa encostem no chão.

3 – Traga todo o seu corpo para a frente até que seus ombros estejam nivelados com as mãos.

4 – Abaixe os quadris para tocar o chão e levante a parte superior do corpo com a ajuda das mãos, mas apenas na medida em que seus quadris permaneçam em contato com o chão. Olhe para cima, certificando-se de que a coluna esteja uniformemente arqueada.

5 – Mantendo as pernas retas, levante as nádegas. A parte superior do corpo e os braços neste ponto formam uma linha. As solas dos pés devem estar retas e firmes no chão. A cabeça fica relaxada entre os braços retos.

6 – Traga o pé direito para a frente nas mãos e coloque o joelho esquerdo no chão. As palmas ou os dedos tocam o chão. Levante a cabeça e olhe para a frente.

7 – Levante os braços acima da cabeça e junte as palmas das mãos. Olhe para as suas mãos. Pressione com os quadris levemente para a frente e levante o corpo para cima.

8 – Volte à posição 6.

9 – Coloque o pé esquerdo ao lado do direito e endireite os joelhos. Deixe a parte superior do corpo pender relaxada.

10 – Mantenha a parte superior do corpo e os braços em uma linha reta, erguidos pelos quadris. Junte as palmas das mãos e olhe na direção delas. Cuidado para não estender excessivamente a região lombar.

11- O asana continua então na ordem inversa.

Esta sequência não é recomendada se você tiver pressão arterial alta ou tontura. É recomendável também que desenvolva antes uma boa flexibilidade praticando alongamentos.



Marcello Salvaggio
logotipo amazon

Marcello Salvaggio


Sou escritor e pesquisador nas áreas da religião, da literatura, do misticismo e da história.
Considero a espiritualidade a chave fundamental para o entendimento de nossas vidas, para encontrarmos o verdadeiro sentido de nossa existência, e todo meu trabalho é orientado nesse sentido.
Tenho livros publicados no Brasil e na Itália e sou formado em Letras pela USP e auricoloterapia pelo instituto EOMA, escola especializada em acupuntura e em outros ramos da medicina tradicional chinesa.
No campo da terapia e do aconselhamento, considero essenciais a empatia e o respeito ao livre-arbítrio alheio.

Já consultou nossos Tarólogos?

A partir de R$ 9,90


Faça sua consulta online agora mesmo!


Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas sobre Amor, Dinheiro, Emprego etc.


Veja também...

junho 1, 2021

maio 24, 2021

maio 17, 2021

>