julho 21, 2020

Mestre Lanto: Um amante da centelha divina interior

COMPARTILHE

Quem é o Mestre Lanto?

O Mestre Lanto, Chohan do segundo raio, é um Mestre Ascenso de alto nível, cuja evolução está relacionada às escolas de mistérios da China. Tanto que atualmente ele inicia almas que seguem o caminho dos ensinamentos da sabedoria de Confúcio e Lao Tzu, embora também transmita com alegria e profundo entendimento os ensinamentos de Buda, Jesus Cristo e Maria.

È um Mestre Ascensionado cuja presença ensina que a sublimidade da Mente de Deus pode ser tocada e conhecida gradualmente.

O que o Mestre Lanto nos ensina?

O Mestre Lanto nos ensina a meditar com foco na chama tríplice dentro do coração e, especificamente, na chama central dessa trindade: a chama amarela da sabedoria.

Ele nos ensina em nossa meditação a extrair essa chama do coração e a elevá-la ao ponto do chakra da coroa, que é o centro da iluminação. Isso para alcançar a iluminação do Buda e do Cristo.

Ele nos pede para visualizar em nossa meditação a luz branca no coração como uma grande esfera que simboliza e atualiza nossa consciência cósmica. Este lugar no coração é nossa sede de autoridade e nossa sede de consciência; é também a sede da meditação.

Quando fechamos os olhos e respiramos profundamente e relaxamos o corpo, entramos na câmara do coração que é conhecida como a câmara secreta do coração. Aqui comungamos com os mestres ascensos, com nossa própria Presença EU SOU e nosso próprio Cristo.

O “ir para dentro de si mesmo” na meditação, como ensinado por Lanto, significa na verdade entrar no templo interior da alma. Dentro deste templo, podemos ouvir o som silencioso da Verdade e comungar com nossos irmãos e irmãs mais velhos que foram adiante em relação a nós no caminho da iniciação. Estes irmãos que são um com a luz branca através da ascensão.

Mestre Lanto nos ensina a abertura do chakra da coroa, ou chakra coronário, através do domínio do centro do coração. A alcançar o equilíbrio e a partir daí se elevar para a fusão com Deus,

A chave para os estados de Cristo e Buda está no equilíbrio entre amor, sabedoria e poder. Equilíbrio que só pode ser alcançado através do domínio de si mesmo no centro do peito.

Lanto ensina o caminho desse domínio através do raio amarelo. E ele nos concedeu uma bela oração, que fazemos em nome de Deus Todo-Poderoso,

Metsre Lanto: A Oração de Lanto

Mestre Lanto: Um amante da centelha divina interior

Em nome do Deus Todo-Poderoso

Eu me levanto para desafiar a noite,

Para erguer a Luz,

Para ser um foco da consciência de Gautama Buda!

EU SOU a chama do lótus de mil pétalas!

E eu venho levá-la em Seu nome!

Firme na vida nesta hora,

Eu seguro o cetro do poder de Cristo

Para desafiar a escuridão,

E para trazer a luz.

Para trazer de alturas estelares

A consciência de anjos, mestres, Elohim, centros solares

E de toda a Vida

Que é a presença EU SOU de cada um!

Eu reivindico a vitória em nome de Deus.

Eu reivindico a luz da chama solar.

Eu reivindico a luz! EU SOU a luz!

EU SOU vitória! EU SOU vitória! EU SOU vitória!

Da Mãe Divina e do Filho Divino

E a vitória que exalta a coroa da vida

E os doze focos estelares

Que se regozijam em ver a salvação do nosso Deus

Bem dentro de minha coroa,

Bem no centro do sol

De Alfa – Está feito!

Esta é a oração do místico que se comunica com a chama da sabedoria através da Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

As mais antigas encarnações de Mestre Lanto

Podemos rastrear a evolução da alma de Lanto como um sumo sacerdote no templo da Mãe Divina, no continente perdido da Lemúria, que ocupava uma vasta área do Oceano Pacífico, bem como em encarnações posteriores na Atlântida.

Depois do afundamento de “Mu”, nome pelo qual era conhecida a Terra-Mãe do Pacífico, e do posterior desaparecimento de Poseidonis nas águas do Atlântico, o último vestígio de Atla (Atlântida), que afundou em várias etapas, muitos adeptos e sacerdotes do fogo sagrado levaram as chamas que haviam guardado para outras partes da Terra.

Este foi um ritual altamente necessário, uma vez que as chamas que focalizavam certas qualidades da Consciência de Deus em prol de um planeta e dos seus povos precisavam ser mantidas por um corpo de iniciados muito evoluídos.

Mestre Lanto, que era um desses iniciados, foi, e é, um mestre do poder da precipitação, que é um processo alquímico que capacita o indivíduo a atrair luz e substância cósmica a partir da Fonte Universal.

Depois faz com que ela se manifeste numa forma física e palpável através da ciência da palavra falada, do Verbo divino.

A partir daí Lanto levaria essa sabedoria para a China, que durante séculos seria um país em que a alquimia floresceria.

Mestre Lanto: A encarnação como o Imperador Amarelo.

Haung Di-Mestre-Lanto

Notável entre as vidas de Lanto na China é sua aparição no século XII a.C. Como Huang Di ou Huang Ti, o “Imperador Amarelo”, considerado um dos estadistas mais renomados da história da China.

O venerável Confúcio estudou a vida e as realizações do Imperador Amarelo. Realizações como o restabelecimento dos mais altos princípios e da nobre cultura da era de ouro.

Trouxe à tona a escrita do I Ching, a criação de uma nova forma de música clássica e, possivelmente, compôs o primeiro tratado organizado sobre práticas medicinais.

Todas as antigas práticas de medicina da China foram atribuídas originalmente a esse imperador, inclusive a acupuntura.

Ele também ajudou no desenvolvimento do calendário e de formas de artes marciais que trouxeram à tona os caminhos mais nobres da autodefesa, com seus inegáveis benefícios para a saúde e para o ser interior.

Huang Di nasceu em Shou Qiu (“a colina da longevidade”), que hoje fica perto da cidade de Qufu, na província de Shandong.

Quando criança, ele viveu com sua tribo no noroeste, perto do rio Ji (que se acredita ser o atual rio Fen em Shanxi).

Os documentos mais antigos da história chinesa apresentam Huang Di como líder e guia espiritual da tribo Huaxia, localizada na margem sul do rio Amarelo. A costa norte foi ocupada por uma outra tribo, liderada por Yang Di, o imperador do fogo.

Graças aos espíritos afins de seus líderes, os destinos das duas tribos foram se harmonizando cada vez mais até se integrarem.

Huang Di e Yan Di expandiram seus domínios primeiro para o oeste e depois para o leste, perto do condado de Zhuolu, palco de uma das batalhas épicas enfrentadas pelo lendário líder.

O clima favorável e a rica vegetação permitiram elaborar e aperfeiçoar várias técnicas agrícolas. O desenvolvimento do cultivo de cereais permitiu a diversificação de algumas variedades de trigo, das quais nasceram os cinco cereais chineses.

O crescimento das atividades de criação de gado continuou na mesma proporção, acompanhado pelo desenvolvimento têxtil e pelo nascimento dos primeiros barcos.

Pixiu-Huang-di-Mestre-Lanto

Huang Di usou suas habilidades excepcionais também para domar animais selvagens, entre os quais o Pixiu: uma criatura híbrida semelhante a um pequeno leão alado, que tem como função purificar os ambientes dos espíritos do mal)

Mestre Lanto: O Livro do Imperador Amarelo

Na China, é considerado o texto médico mais influente. É dividido em dois volumes, o Huangdi Neijing Suwen (“As Perguntas Simples”), abreviado como Suwen, e o Huangdi Neijing Lingshu (“O Eixo Espiritual”) abreviado como Lingshu.

Cada volume é, por sua vez, dividido em oitenta e um capítulos, e apresenta diálogos sobre medicina entre Huang Di e seis de seus lendários ministros imperiais.

No volume Suwen, o Mestre celestial Qi Bo responde às perguntas de Huang Di.

Ao responder às perguntas, Qi Bo fala de fisiologia, diagnóstico e terapia. Trata dos meridianos, os canais de energia sutis no homem.

No Lingshu, fala-se sobre o relacionamento fundamental do homem com o Céu, através dos Espíritos. Ou seja, as atividades terrenas sempre se baseiam em influências celestes. E tudo é exposto de acordo com a doutrina do yin e do yang.

O texto, em virtude de seu valor histórico-cultural e médico, é comparável ao Corpus Hippocraticum grego, às obras de Claudio Galeno e aos livros de medicina medieval islâmicos e europeus.

Mestre Lanto: Um amante da centelha divina interior

Uma observação relevante sobre esse mestre é que a importância que ele dá ao equilíbrio da sabedoria com o amor tem muito a ver com a iluminação que ele experimentou no final de sua última encarnação.

Naquela vida, Mestre Lanto alcançou o que nenhuma outra pessoa havia feito desde a queda do homem.

Mestre Lanto adorou tanto a Presença de Deus por meio da oração, da meditação e da atenção constante que um intenso brilho dourado começou a emanar de seu coração, um brilho que os outros realmente podiam ver! Esse fenômeno milagroso continuou por todo o resto de sua vida.

Para Lanto, essa evidência de sua adoração também era como um lembrete de que todos possuímos essa mesma centelha divina.

Por livre arbítrio, também podemos alimentar sua chama sagrada até sentirmos uma profunda queimação em nossos corações.

E nós, como lorde Lanto, podemos descobrir que não somos capazes de esconder o intenso amor que recebemos de Deus e que podemos sentir por Ele e pelo próximo.

Mestre Lanto: Um Adepto Oriental para o Estudante Ocidental

O mestre Lanto, em seu grande amor pela humanidade, continua a transmitir suas palavras de sabedoria e orientação através de muitos espiritualistas ocidentais, contribuindo a aproximar oriente e ocidente, os ensinamentos orientais aos tesouros ocidentais e vice-versa.

Tanto é assim que atualmente reside no retiro sutil do Royal Teton, que corresponde ao Grand Teton em Wyoming (EUA). Lá, o caminho antigo da Cristicidade Universal que tornou grande a idade de ouro da China é posto em evidência pela presença do hierarca Confúcio, que também se tornou um Mestre Ascenso.

Mestre Lanto já explicou no passado sua abordagem no caminho da sabedoria: “Meu propósito é fazer com que surja novamente dentro de você a lembrança brilhante de sua caminhada interior com Maitreya, para que você o reconheça novamente quando ele vier para iniciá-lo com toda a sabedoria, todo o conhecimento e todo o seu Ser através do seu coração compassivo.”

Maitreya que, devemos nos lembrar, é o Grande Lorde Divino, e foi o Instrutor do Mundo ou o Cristo Cósmico, que no Ano Novo de 1956 assumiu o cargo de Buda, ocupado anteriormente pelo Príncipe Gautama.

Ele é responsável por alimentar e sustentar a Chama Divina no coração de cada ser humano até o seu pleno desabrochar.

O Senhor Maitreya foi o Cristo Cósmico que ajudou Jesus, o Mestre, em sua passagem pelo nosso planeta.

Tanto Kuthumi como Jesus foram instruídos pelo Lorde Divino e com o Mestre Lanto não poderia ser diferente. Lanto que encaminha o homem ao conhecimento do Cristo Cósmico através do equilíbrio da sabedoria com o amor.

Ao falar da chama amarela da sabedoria, Mestre Lanto já disse: “Há uma razão pela qual a chama amarela queima no centro da tríplice chama, meus queridos. Vocês já pensaram sobre isso?

Vocês conseguem entender a centralidade da sabedoria como aquela luz universal que mantém o núcleo da polaridade, o equilíbrio, da chama tríplice?

Sem sabedoria, o amor pode não se manifestar verdadeiramente como compaixão.”

Mestre Lanto certa vez descreveu sua presença de energia da seguinte maneira: “Escolhi a suavidade da refração amarela como minha vibração mais confortável. Ela é mais facilmente identificada com as minhas experiências do passado.

Minha existência em forma mortal me levou a lugares que vocês agora identifican geograficamente como o Oriente. E recebi os grandes dons da Intuição e da Sabedoria da nossa Fonte Criadora para experimentá-los neste planeta na forma de alguns dos mais humildes sábios.”

Sobre a verdadeira espiritualidade degenerada pelas religiões manipuladas pelo homem, Mestre Lanto observa: “A Religião, como vocês a manifestam, é algo de danoso e mortal. É uma soma de gritos descontrolados, choros emotivos demais e apelos egoístas e gananciosos de pessoas sedentas de poder. As energias atacam a todo momento. A própria fibra do fundamento sobre o qual, primeiro, a Verdade foi fundada, é destruída atrás das sombras da fachada.”

O Mestre Lanto, portanto, ataca aqui a hipocrisia dos falsos religiosos.

E ele também já nos lembrou o erro que é a necessidade de classificar as pessoas, de impor rótulos e valorizar o status. Inclusive no que diz respeito aos mestres. Ele já se manifestou contrário a uma reverência vazia:

“O homem é quem escolhe nos colocar em pedestais acima de seu alcance. Nós diferimos apenas na existência de forma e iluminação. No entanto, somos rotulados por nossa responsabilidade e função. Senhor, Mestre ou Lorde, lembrem-se, significa professor; chela significa estudante, discípulo.

Eles são termos simples para nós, dos reinos humildes, e lembre-se sempre disso: quanto mais imponente e elevado o termo em sua língua, mais humilde será a forma de energia que nos envolve nesses reinos.”

Assim como a Mestra Nada, Mestre Lanto enfatiza a importância das crianças na explicação da situação atual do nosso planeta.

Ele diz: “Na ignorância que afeta vocês, vocês trouxeram rebelião e aumentaram a ignorância que envolve os seus filhos.

Eles se prendem à autodestruição dentro da cultura das drogas e da música venenosa. Se transformam nas visões que dão à sua mente, influenciadas por filmes impróprios. E então você ainda se pergunta por que coisas ruins acontecem neste planeta?

Bem, chelas, partindo do Jardim (do Éden), o ciclo do mundo nos conduziu a este lugar escuro.

Sim, seu mundo está em grande estado de degradação. Suas crianças nas primeiras séries estão trazendo armas de morte para as aulas do jardim de infância.

O que mais elas podem saber, se tudo o que veem em sua visão é isso, é violência?”

Portanto o que Mestre Lanto nos estimula a fazer é a ficarmos atentos a nossos filhos, e a introduzir nos corações deles a verdadeira sabedoria e o verdadeiro amor.

Embora pareça algo difícil de ser aplicado nos dias atuais, com tantas influências e desvios, é este o caminho para conduzir a humanidade rumo a um futuro melhor.

Gostou do artigo? Comente aqui e compartilhe em suas redes sociais.


Compartilhe!


VT-Post-Vanessa-Ramos

Marcello Salvaggio


Sou escritor e pesquisador nas áreas da religião, da literatura, do misticismo e da história.
Considero a espiritualidade a chave fundamental para o entendimento de nossas vidas, para encontrarmos o verdadeiro sentido de nossa existência, e todo meu trabalho é orientado nesse sentido.
Tenho livros publicados no Brasil e na Itália e sou formado em Letras pela USP e auricoloterapia pelo instituto EOMA, escola especializada em acupuntura e em outros ramos da medicina tradicional chinesa.
No campo da terapia e do aconselhamento, considero essenciais a empatia e o respeito ao livre-arbítrio alheio.


Veja também...

setembro 14, 2020

agosto 24, 2020

agosto 20, 2020

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"b4fbe":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"b4fbe":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"b4fbe":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
Publicação Anterior
__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"b4fbe":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"b4fbe":{"val":"var(--tcb-skin-color-0)"}},"gradients":[]},"original":{"colors":{"b4fbe":{"val":"rgb(19, 114, 211)","hsl":{"h":210,"s":0.83,"l":0.45}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
Próxima Publicação

Deixe seus comentários...

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>