outubro 30, 2020

A Luxúria – Quando você só pensa “naquilo”.

O que é a Luxúria?

O que é a Luxuria

A Luxúria pode ser definida como um desejo sem freios pelo ato sexual.

Em muitas religiões e doutrinas místicas, a luxúria é considerada um pecado, como algo que afeta a vontade individual e a capacidade de diferenciar o bem do mal.

Não é, como geralmente se acredita, um “mal em si”, entendido como um ato que por si só é condenável.

Mas, de acordo com essas religiões, ela atrapalha a vontade individual porque o indivíduo se torna escravo de seus desejos e prazeres e fica dependente deles. Também perde a capacidade de distinguir bem e mal porque submete a sua moral aos seus desejos. Para realizá-los, faz qualquer coisa, mesmo que seja imoral ou vá ferir ou ofender outra pessoa.

Nesse segundo caso, temos por exemplo quem trai ou quem deseja ou busca ter algo com o  companheiro ou a companheira de outra pessoa.

Considerada um dos sete pecados capitais, para algumas religiões, no entanto, a luxúria não é um mal.

Pode ser considerada um simples desequilíbrio ou então chega a ser até exaltada.

A luxúria no cristianismo em geral

A luxuria no cristianismo em geral

A definição de luxúria, também dependendo das mudanças culturais que ocorreram ao longo dos séculos, obviamente esteve sujeita a variações nas interpretações.

Com o tempo, a visão rigorosa tradicional foi atenuada com teorias mais ou menos amenas.

Se por um lado por exemplo São Paulo era bastante rigoroso, chegando a afirmar que era ideal os esposos se manterem castos, ainda que fosse melhor se “casar do que abrasar”, Pedro Abelardo, por exemplo, durante a Idade Média dizia que havia no ser humano uma inclinação para a luxúria como uma tendência a desejar o outro/a pela aparência física.

O que não é essencialmente mau, já que se pode desejar assim uma companheira ou companheira que se ama. A questão seria não perder o controle desse desejo.

A Luxúria de acordo com a Igreja Católica

A Luxuria: De acordo com a Igreja Católica

A luxúria é para os católicos um dos sete vícios ou pecados capitais, o “vício impuro”, que está fora da norma moral.

De acordo com as elaborações doutrinárias da teologia moral do catolicismo, a luxúria é a causa de vários efeitos negativos, alguns dos quais têm destaque na esfera religiosa, enquanto outros interferem mais especificamente no livre arbítrio.

Pode haver grave perturbação da razão e cegueira da mente, ou seja, a pessoa realmente só pensa naquilo e pode se tornar até agressiva para conseguir realizar seu desejo sexual de qualquer forma.

Pode haver inconstância e inconsistência com relação aos valores morais. A pessoa diz e prega uma coisa, mas faz outra. A pessoa também tende a cultivar um amor-próprio egoísta. Ou seja, há egoísmo para realizar o próprio prazer e negação do amor ao próximo.

O amor fica em segundo plano em relação ao sexo. As relações não são firmes e os relacionamentos não são baseados no afeto e na confiança mútua, apenas no desejo, o que pode levar a grandes problemas e desentendimentos.

Há incapacidade de controlar as paixões. O que pode levar a consequências negativas.

Na doutrina católica clássica, a luxúria é o resultado da assim chamada concupiscência (uma espécie de ganância, de desejo que não se consegue frear) da carne (assim como os pecados da gula e da preguiça) e quebra o sexto mandamento, que proíbe cometer atos impuros, e o nono, que diz que não se deve desejar a mulher (e por extensão o homem) do próximo.

Entre os atos impuros, a visão católica tradicional fala tanto do sexo que não visa a reprodução e a união no casamento como também do mero desejo ou da imaginação voltada ao sexo (“quem olha para uma mulher por desejá-la, já cometeu adultério com ela em seu coração”, Evangelho de Mateus 5,28).

Entre os pecados que se opõem gravemente à castidade e estão relacionados à luxúria, são mencionados com frequência a masturbação, a fornicação, a pornografia e as práticas homossexuais.

Segundo a visão católica convencional, adultério e divórcio, poligamia e união livre (sem casamento) constituem ofensas graves contra a dignidade do casamento.

No entanto, é interessante notar que no Deuteronômio e no livro de Êxodo da Bíblia o sexto mandamento é na verdade mais estritamente “Não cometer adultério.”

Isso revela uma intenção original de focar mais na fidelidade conjugal do que no controle mais geral das paixões sexuais, como acontece no Evangelho.

A luxúria no hinduísmo, no budismo e na Gnose

A luxúria nas religiões indianas também é vista de forma um tanto negativa. Ela é considerada um obstáculo à Libertação espiritual, porque liga o homem ao mundo, a Maya, ou seja, à ilusão.

Tanto é assim que Kama, que é uma personificação do desejo sexual, aparece para tentar o Buda antes dele se iluminar.

E o Kama Sutra surgiu como um livro voltado a ajudar pessoas casadas a terem mais variação na vida sexual entre si. Não é um livro voltado a praticar posições com diferentes parceiros.

No tantra, assim como em algumas vertentes da gnose ocidental, influenciada pela espiritualidade indiana, a luxúria é vista como um pecado que leva à perda do sêmen. E portanto da força viril que leva o homem a despertar a kundalini.

De acordo com estas doutrinas, a luxúria faz com que o ser humano fique preso aos prazeres da carne e não desperte para os prazeres maiores proporcionados pela espiritualidade.

A luxúria de acordo com o paganismo antigo

Na religião pagã clássica, pelo contrário, a luxúria podia ser considerada um meio de contato com o divino, como por exemplo nos cultos dionisíacos.

Por causa de alguns excessos, os bacanais chegaram a ser proibidos na Roma antiga. E foram surgindo algumas doutrinas que pregavam uma contenção maior e uma moralidade que restringia os excessos do sexo.

Havia a prostituição sagrada, praticada pelas sacerdotisas de alguns templos orientais.

Ao mesmo tempo, no entanto, existia também o culto de Héstia para os gregos e Vesta para os romanos, deusas que protegiam o fogo da família e preservavam a castidade.

A luxúria no Tarot

a luxuria no tarot

No Tarot, uma carta que é muito forte no sentido da luxúria é a Carta do Diabo.

Pode representar pessoas escravizadas pelos vícios dos prazeres sexuais, entre outras coisas.

Pode falar de um relacionamento muito baseado na questão carnal/sexual.

Pornografia na internet e luxúria: os problemas que isso pode gerar

No século XXI, um dos problemas ligados à luxúria reside na questão da pornografia online.

O uso frequente, e às vezes abusivo, de sites pornográficos, pode causar problemas como disfunção erétil e ejaculação precoce.

Para os céticos ou incrédulos quanto a essa questão, existem inúmeros estudos para confirmar isso.

Um deles foi publicado no US Journal Psichology Today.

Segundo este último, a exposição contínua a material pornográfico dessensibiliza os indivíduos, tanto que eles não conseguem mais se excitar diante de uma mulher de “carne e osso” e podem vir a sofrer de impotência.

Os especialistas definiram a luxúria ligada à pornografia virtual como uma “anorexia sexual”, justamente para indicar uma espécie de vício em sexo.

Também há diversos estudos em português sobre este tema.

Como lidar com a luxúria

Se você realmente só pensa naquilo, e não consegue se controlar, chegando a fazer mal a si mesmo e aos outros com excessos relacionados ao sexo, talvez seja hora de parar e refletir.

Por exemplo se você assiste pornografia com frequência e se torna um viciado naquilo, levando a consequências que já estão sendo estudadas por alguns cientistas como sendo nocivas, podendo prejudicar o cérebro e levar a problemas como a impotência no caso dos homens.

Nesse caso, talvez você precise até mesmo de ajuda terapêutica.

Se não é esse o caso, se o seu problema é mais moderado e você quer só “maneirar” um pouco, a prática da meditação (ou a oração, ou as duas, uma aliada à outra) pode te ajudar bastante a controlar pensamentos relacionados ao sexo.

O importante é você não se culpar por nada. Apenas siga em frente, medite, e com o tempo conseguirá ir se conhecendo melhor para ter uma vida sexual saudável.

Uma vida sexual que não é nem oito nem oitenta. Nem indo para o caminho da repressão excessiva nem para o caminho do excesso nos prazeres, que pode levar você a deixar em segundo plano outras coisas importantes da vida.

Gratidão, paz e luz

Gostou do artigo? Comente aqui e compartilhe em suas redes sociais!



Marcello Salvaggio
logotipo amazon

Marcello Salvaggio


Sou escritor e pesquisador nas áreas da religião, da literatura, do misticismo e da história.
Considero a espiritualidade a chave fundamental para o entendimento de nossas vidas, para encontrarmos o verdadeiro sentido de nossa existência, e todo meu trabalho é orientado nesse sentido.
Tenho livros publicados no Brasil e na Itália e sou formado em Letras pela USP e auricoloterapia pelo instituto EOMA, escola especializada em acupuntura e em outros ramos da medicina tradicional chinesa.
No campo da terapia e do aconselhamento, considero essenciais a empatia e o respeito ao livre-arbítrio alheio.

Já consultou nossos Tarólogos?

A partir de R$ 9,90


Faça sua consulta online agora mesmo!


Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas sobre Amor, Dinheiro, Emprego etc.


Veja também...

novembro 8, 2021

setembro 14, 2021

setembro 13, 2021

>