Você já ouviu falar da Grande Fraternidade Branca?

Essa importante doutrina esotérica é vista como uma verdadeira ponte de contato entre o nosso mundo e o espiritual. Na verdade, segundo as palavras de seus participantes essa seria a fonte dos mais puros ensinamentos espirituais, por trás das escolas de mistério e das religiões do mundo todo.

Resumindo, a ideia é que apenas o conhecimento esotérico – o saber interior – é capaz de liberar os homens do estado animal, superando as sombras em direção à ascensão na luz.

Os membros dessa fraternidade são os chamados “mestres ascencionados”. Pessoas que fizeram grandes feitos espirituais no mundo, líderes e mestres de todas as etnias que conseguiram atingir um alto grau de avanço espiritual, aproximando-se de um ideal divino.

O grande objetivo dessa Grande Fraternidade Branca é justamente o avanço espiritual da humanidade, por isso esses mestres utilizam o corpo e a vida de outros “mestres” para transmitirem as mensagens pelo mundo.

dúvidas no amor? faça agora uma consulta de tarot online

Como surgiu a Grande Fraternidade Branca?

Os Mestres Ascensionados, ligados à chama universal e divina, começaram a utilizar mensageiros incorporados para trazer seus saberes para o mundo, séculos atrás.

Eles teriam começado em 1876, quando o mestre chamado El Morya trabalhou com Helena Blavatsky na fundação da Teosofia, um saber que existe até hoje no mundo todo. A teosofia inspirou muitas ideias sobre Karma e Reencarnação promovidas no ocidente.

Segundo essa doutrina, os mestres ascencionados estão entre Deus e os Anjos, em uma alta hierarquia divina. Não são simplesmente médiuns ou pessoas com poderes psíquicos, mas humanos escolhidos especialmente para levarem mensagens cósmicas para as pessoas.

Além disso, outras doutrinas surgiram no mundo todo, a partir dos ensinamentos e ações da grande fraternidade branca. Da mesma forma, as grandes religiões – voltadas ao povo – também surgiram desse princípio.

Grande fraternidade branca: conheça os mestres dos 7 raios

O que são os sete raios da Grande Fraternidade Branca?

Na doutrina da Grande Fraternidade Branca, existem sete raios, cada qual com sete cores e que se relacionam aos sete chakras do corpo humano. Além disso, cada raio tem um mestre ascensionado responsável e um arcanjo, refletindo na guia de aspectos específicos do espírito humano.

Abaixo, separamos os sete raios, seus mestres e suas correlações.

1º raio – Azul: Esse raio é direcionado ao chakra da garganta e seu mestre ascensionado é El Morya, caracterizado por virtudes como força de vontade, fé, proteção e poder. Ele é, além disso, caracterizado pela obediência a vontade divina.

El Morya já foi encarnado em Abraão, Rei Artur e Thomas More.

A religião que surge desse raio é o judaísmo. É um raio de luz, coragem, energia, consciência e aceitação da ordem.

2º raio – Amarelo Ouro: Esse raio é direcionado ao chakra da coroa e seu mestre ascensionado é  Lanto, caracterizado por virtudes como a compreensão, a sabedoria e a tranquilidade.  Esse é o raio que nos lembra que cada um de nós pode se tornar mestre da própria vida e ascender espiritualmente.

Lanto já foi encarnado como o “Imperador Amarelo”, o Duque de Chou da China.

Esse raio apresenta o caminho da alquimia da alma, da transformação de si mesmo por meio do equilíbrio entre amor e sabedoria.

A religião que surge desse raio é o Budismo.

veja os depoimentos Vida Tarot - Tarot online

3º raio – Rosa: Esse raio é direcionado ao chakra do coração e sua mestra ascensionada é Rowena, um ser ligado ao planeta Vênus. A posição foi ocupada por Paulo Veneziano que ascendeu na hierarquia, tornando-se um representante do Espírito Santo. 

Rowena tomou seu lugar no raio rosa, que é ligado ao amor divino e a compreensão dos problemas mundanos, da caridade. Sua virtude revela a capacidade aperfeiçoar a alma através da paciência.

Esse mestre foi encarnado no pintor Paolo Veronese em 1528.

A religião que surge desse raio é o Cristianismo.

4º raio – Branco: Esse raio é direcionado ao chacra da base da espinha. Seu mestre ascensionado é Serapis Bey, ligado a pureza, harmonia e a disciplina. Seus discípulos são levados ao trabalho de harmonização com os outros e ajuda mútua.

Esse mestre foi encarnado no rei de Esparta, Leônidas.

A religião que surge desse raio é o Hinduísmo.

5º raio – Verde: Esse raio é direcionado ao chakra do terceiro olho, localizado no centro da testa. Assim como o chakra correspondente, esse raio é ligado à visão e a abundância do mundo espiritual e invisível. O quinto raio é também associado ao poder da cura. O mestre ascensionado esse raio é chamado Hilarion, ele foi o mais alto sacerdote do templo de Atlantis e também encarnou em Paulo, um dos apóstolos de Jesus.

A religião que surge desse raio é o Confucionismo.

6º raio – Púrpura: Esse raio é direcionado ao chakra do plexo solar. Sua qualidade está ligada à uma forma especial de paz, que nos coloca em um lugar de refúgio e calma entre forças conflituosas ou contrastantes. É por meio dessa paz profunda que é possível agir sem a influência do ego.

A mestra ascensionada desse raio é chamada Nada, considerada como a mestra da paz. Diz-se que ela sucedeu Jesus como mestre dessa raio, incorporando os valores da devoção ao amor e ao serviço.

A religião que surge desse raio é o Islamismo.

7º raio – Violeta: Esse raio é direcionado ao chakra da base da espinha. Suas qualidades são expressas por sentimentos como perdão, piedade e liberdade espiritual.

Seu mestre ascensionado é Saint Germain, símbolo da nova era de Aquário, uma figura ligada a libertação da luz da alma, da alquimia que transforma nossa sombra em raios de existência livre.

A religião que surge desse raio é o Taoísmo.

E você? Com qual raio da Grande Fraternidade Branca você se identifica?

Ganhe 50% de créditos a mais na primeira compra