fevereiro 10, 2020

Ganesha: sua história, simbolismos, conexão e seu altar.

É praticamente impossível caminhar pelos cantos da Índia e encontrar uma casa ou comércio que não tenha uma imagem de Ganesha.

Na mitologia Hindu, Ganesha é a divindade da abertura de caminhos, da Sabedoria, da prosperidade nos negócios, da alegria de viver e é também um deus de proteção.

Ganesha, o deus com cabeça de elefante

ganesha-deus-com-cabeça-de-elefante

Antes de compreendermos os simbolismos de Ganesha, o que representa sua cabeça de elefante e as regências energéticas desse deus, é necessário conhecer a sua história.

Antes de possuir a cabeça de um elefante, Ganesha era uma criança comum; existem variações do seu mito, do mesmo modo como acontece com outros deuses do panteão hindu, mas há uma versão que é a mais popular e aceitável.

Ganesha: a história do menino que se tornou um deus

Ganesha é filho dos deuses Parvati e Shiva.

Conta um mito que Shiva, o deus das transformações, meditação e dança, iria fazer uma viagem em função da expansão de sua consciência, com práticas espirituais.

Então o deus acabaria por deixar sua esposa Parvati, a deusa dos laços afetivos, maternidade e harmonia, em casa, para que pudesse concluir sua tarefa de peregrinar pelo mundo, praticando as suas atividades espirituais, pois Shiva é o senhor dos yogues.

Sozinha em casa, Parvati sentiu que precisava de alguém que a protegesse enquanto seu esposo Shiva estivesse fora.

Por ser uma deusa de encantos femininos e fertilidade, criou uma pasta fértil e moldou a partir dela uma criança que lhe fizesse companhia e fosse fiel às suas ordens.

Pode parecer estranha essa parte da história, mas na realidade aqui nos deparamos com a simbologia da gestação da mulher.

Temos neste conto uma forma simbólica da condição de gestante. É um mito que demonstra que Parvati, por ser uma deusa da fertilidade, poderia gerar um filho sem grandes problemas. Mas onde entra aqui o papel masculino?

A parte do deus, do homem, do masculino, está na pasta, que é uma representação do sêmen de Shiva. Ele teria fecundado Parvati sem que ela percebesse e também sem que ele próprio se desse conta, antes de ir se dedicar ao seu trabalho espiritual.

Assim surgiu um menino que, ao longo dos anos, crescia e se dedicava à mãe, fazia-lhe companhia e a protegia dentro de casa.

Um dia, quando Parvati foi se banhar, pediu que o menino ficasse de guarda e ordenou que ninguém deveria passar pela porta. Assim foi feito.

No entanto, nesse mesmo dia, Shiva retornava de sua longa jornada meditativa e, ao chegar em casa, viu que um menino impedia a sua entrada. Shiva não entendeu o que havia acontecido, pois quando havia partido, esse menino não existia.

Insistiu em dizer ao menino que ele morava naquela casa, mas continuou a ser impedido. Shiva, por ser um deus de destruição, ficou furioso com a situação e acabou cortando a cabeça do garoto, entrou em casa e foi tirar satisfações com Parvati, que, quando viu o ocorrido, entrou em desespero, ficou furiosa e determinou que Shiva de algum modo trouxesse o menino de volta à vida, pois aquele era o filho do casal.

Shiva, se deparando com a verdade e desejando o perdão da esposa, foi atrás da solução para reviver seu filho.

Como Shiva é um deus xamã e transmuta as possibilidades, conseguiu dar vida ao menino outra vez, com a cabeça do primeiro ser vivo que encontrara: um elefante.

Assim surgiu Ganesha, que, ao retornar para a mãe Parvati, imensamente feliz, tornou-se a divindade da alegria de viver, um removedor de obstáculos nos caminhos, além de guardião das recompensas financeiras por meio do trabalho e dos comércios.

Ele também foi contemplado com o presente de se tornar o primeiro a receber honras rituais antes de qualquer outro deus. Por isso, nas práticas hindus, antes de qualquer trabalho ou culto, deve-se homenagear Ganesha.

Ganesha: Simbolismos e regências

Todo mito é carregado de linguagem simbólica. Os símbolos abrigam as representações das características e regências das divindades.

A cabeça de elefante de Ganesha manifesta o poder desse animal, que é força, perseverança e graciosidade.

O elefante também carrega o símbolo de remoção do que atrapalha o caminho.

Nota-se que com a tromba, o animal vai retirando o que estiver à sua frente, tudo o que o impede de prosseguir, assim como seus pequeninos olhos o ajudam a reparar nos mínimos detalhes.

As orelhas grandes representam a paciência em ouvir e prestar atenção ao que está ao redor.

Estas são então, resumidamente, algumas das características do deus Ganesha.

Ganesha: simbolismos nas imagens e estatuetas

ganesha-estatuetas

A cabeça é de elefante, mas o restante do corpo de Ganesha é humano.

A cabeça de animal unida ao corpo humano simboliza a harmonia entre a essência primitiva e animalesca do ser humano, a sua matéria (o corpo físico), e a essência espiritual, a alma, que os hindus denominam atman.

Nas imagens sempre vemos Ganesha com uma barriga farta, o que representa a digestão da abundância, mantida na região do plexo solar, o chakra que vibra a energia do poder pessoal. Promove assim a confiança e o bom humor e não é a única divindade ou entidade de alegria e elevada espiritualidade representada dessa forma: temos, no budismo, a figura de Budai, que às vezes é confundido com o Buda histórico, Siddharta Gautama.

Ganesha também é um deus guardião dos caminhos, das residências (assim como no seu mito, protegeu Parvati em casa), dos comércios, enfim, de todo tipo de local ou estabelecimento em que ocorrem a entrada e a saída de pessoas.

É natural encontrarmos imagens de Ganesha com vários braços e em algumas das mãos ele segura machadinhas, que são suas armas contra o mal e para abrir os caminhos em nossas vidas, cortando os bloqueios diante de nós.

Ganesha também possui um companheiro, o rato, um animal que por vezes é o seu “veículo”, representando que, mesmo com toda a sua grandiosidade, há leveza, pois Ganesha é um ser elevado espiritualmente e o rato, um animal tão fugaz e considerado baixo, obedece aos seus comandos, os dois convivendo em harmonia e superando a ignorância e a diferença.

Ganesha: algumas dicas para estabelecer uma conexão com esta divindade

Mantra de Ganesha para remover obstáculos e abrir caminhos:

OM GAN GANAPATAYE NAMAHA

Melhor dia para ser honrado:

Quarta-feira, dia do planeta Mercúrio, que cuida dos comércios e negócios, ou quinta-feira, dia do planeta Júpiter, das expansões e cuidados com a espiritualidade.

Ganesha: montando um altar para o deus

altar-ganesha

Você pode criar um altar para a divindade. Assim terá um espaço sagrado em seu lar, ambiente de trabalho, escritório ou comercio; seja qual for o ambiente, Ganesha estará ali, firme, com você.

Um altar simples de se montar é em cima de alguma mesinha ou estante; pode depositar uma imagem de Ganesha, um quadro ou estatueta e colocar um tecido branco que representa a pureza espiritual. Ou então pode usar o dourado, que é a cor da prosperidade, ou a que sentir adequada em seu coração.

Pode decorar o altar com flores, como o girassol, os lírios, as rosas brancas, as violetas.

Pode colocar velas na cor amarela, que representa alegria e inteligência.

Complemente com os Incensos de coco, jasmim, lírio, girassol, sândalo ou mirra.

E também pode introduzir outras honrarias, como por exemplo:

Ganesha gosta de fartura, e sendo igual às crianças, adora um docinho! Oferte algumas frutas amarelas e/ou doces: banana, melão, manga, pera, coco, balinhas, cocadas, bombocados, quindins.

* Observação: os hindus montam mesas abundantes com alimentos e doces, mas após os pedidos e agradecimentos a Ganesha, tudo é aproveitado! Então alimente-se ou partilhe o momento com pessoas queridas, para nutrir a energia da prosperidade.

O importante é sempre manter uma vibração positiva, brincar, se divertir, lembrando-se que Ganesha é um deus criança, ao mesmo tempo que é poderoso como uma divindade grandiosa.

Na tradição cristã, é dito: “aos pequeninos o Reino dos Cèus.”

Ganesha é um desses pequeninos, e quer que nos tornemos como ele, nos céus da espiritualidade mais elevada.

Viva com alegria, compartilhando o que tem, e que assim nada lhe falte!

Conclusão:

Mesmo dentro de culturas e etnias diferentes, encontramos nos mitos uma sabedoria universal, que contém o poder das representações manifestadas naquilo que necessitamos.

O que parece muito diferente na verdade nos irmana, pois temos presente mesmo nas diferenças o poder dos arquétipos.

Por isso existem as divindades que podem nos auxiliar, abrir caminhos, nos empoderar, nos fortalecer, nos trazer felicidade e prosperidade.

Ganesha é uma divindade cultuada, amada e respeitada pelo mundo todo.

Há muitos relatos das bençãos dessa divindade aos seus devotos.

Busque essa conexão você também e se beneficie do deus Ganesha, que conservou sua pureza interior através da sua imagem de criança, mas também é um forte guardião, sábio e protetor. Até por ser filho de Shiva, o grande deus xamã e yogue.

Carregue consigo uma imagem desse deus ou monte um altar para Ganesha e receba toda a prosperidade em seu lar, no trabalho e em seus caminhos!

Namastê!

Gostou do artigo? Comente aqui embaixo e compartilhe em suas redes sociais



Vanessa Ramos

Vanessa Ramos


Praticante de Bruxaria, terapeuta holística, apaixonada por esoterismo. Minha ligação com a espiritualidade trouxe magia à minha vida, na escolha da área profissional e nos hábitos do dia a dia. Adoro ler, escrever e estudar os mistérios ocultos.

terapeuta vanessa ramos

Dúvidas no Amor?

Dinheiro?

Emprego?


Nossos Tarólogos Online respondem tudo!


A partir de R$ 9,90

Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas agora mesmo!


Veja também...

fevereiro 24, 2020

janeiro 28, 2020

>