janeiro 24, 2020

Umbanda e Candomblé. Quais são as principais diferenças?

Umbanda e Candomblé são a mesma coisa? Claro que não! Cada uma tem seus ritos, histórias e diferenças.

A primeira grande diferença entre Umbanda e Candomblé é que a Umbanda é uma religião tipicamente brasileira, enquanto que o Candomblé só existe aqui no Brasil, mas foi trazido pelos escravos.

Na África não existe Candomblé, existe o Culto às Nações. O que é então uma nação?

Cada aldeia na África é comandada por um Orixá. Por exemplo, pode existir uma aldeia que é comandada por Ogum. Isso quer dizer que todos os que pertencem àquela aldeia são de Ogum. Na aldeia de Oxum, todos são de Oxum, e assim por diante.

Quando vieram para cá, os escravos eram de várias aldeias, cada uma ligada a um Orixá. Para poder cultuá-los aqui no Brasil, além do sincretismo com a igreja Católica, ainda houve a união de todos os Orixás, surgindo assim o Candomblé, que volto a dizer que só existe aqui no Brasil.

No caso da Umbanda, ela nasceu no Brasil em 15 de novembro de 1908. Surgiu para dar voz aos Caboclos, Pretos Velhos, Ciganos, Baianos, Exus e a todos que trabalham na Umbanda hoje.

Havia espíritos de luz que não podiam se comunicar de nenhuma forma. Nasce nesse contexto a Umbanda, para permitir que estes espíritos pudessem se manifestar.

Acredito que a única coisa em comum entre as duas religiões consista no culto aos Orixás, ainda assim com uma diferença: na Umbanda trabalhamos com sete Orixás, enquanto que no Candomblé existe um número maior de Orixás.

Quais são as principais diferenças entre Umbanda e Candomblé ?

Umbanda e Candomblé
  • Vestimenta
  • Atendimento
  • Sacrifício de animais
  • Nações

Quais as semelhanças entre Umbanda e Candomblé ?

  • Culto aos Orixás
  • Cantigas (em alguns casos)
  • Atabaques

Existe diferença no atendimento entre Umbanda e Candomblé?

Sim, esta também é uma grande diferença entre Umbanda e Candomblé.

Na Umbanda: os atendimentos são feitos pelos médiuns de incorporação, que dão passes, consultas e aconselhamentos.

Na Umbanda, um caboclo pode pedir que o consulente faça um trabalho para abrir seus caminhos, ou que tome um banho de ervas para melhorar suas energias.

No Candomblé: o atendimento é feito a partir do jogo de búzios. Não existe incorporação das linhas que existem na Umbanda. Existe a incorporação dos Orixás, que não dão consultas porque não falam.

No candomblé, são os búzios que vão dizer o que aquele consulente precisa fazer, para qual Orixá ele precisa fazer um Ebó.

Uso de animais na Umbanda e no Candomblé

Umbanda e Candomblé

No Candomblé, é comum o sacrifício de animais. Em geral, usa-se apenas o sangue, como força vital para um Ebó em questão.

Às vezes o sacrifício é feito para desfazer algum trabalho de magia. Às vezes é feito para agradar um Exu. Enfim, os praticantes do Candomblé utilizam animais em seus trabalhos, mas apenas as vísceras e o sangue são utilizados. A carne do animal pode ser comida pelos filhos de santo da casa.

Na Umbanda, não existe o sacrifício de animais. São usados elementos como frutas, mel, azeite de dendê, ovos, milho, velas, pólvora. Enfim, animais não são empregados, e esta é uma grande diferença entre umbanda e candomblé.

No entanto, existe uma exceção, uma Umbanda Cruzada que usa sim o sacrifício de animais, para firmar a tronqueira dos Exus, ou para algumas entregas para Exus, quando solicitado.

Mas isto apenas na Umbanda cruzada. No geral, é uma fundamental diferença entre Umbanda e Candomblé.

Vestimenta na Umbanda e no Candomblé

Na Umbanda: usamos apenas o branco, os pés ficam descalços e há nossas guias. Algumas casas adotam um pano na cabeça, outras casas não.

Podemos usar também capa de Exu, chapéu de Boiadeiro, saias de Pombas Giras, roupas de Ciganos, mas não é obrigatório, basta estar de branco e com a cabeça firmada e já pode trabalhar.

No Candomblé, as roupas são diferentes e muito caras. Quem incorpora Oxum, por exemplo, precisa estar vestido de Oxum, com todos os aparatos deste Orixá, e isto acontece com todos os Orixás.

Usam sempre roupas coloridas para seus trabalhos, às vezes uma bata e por baixo dela uma calça.

Tudo sempre com muitas cores.

Cobra-se pelo atendimento?

Temos aqui outra diferença entre a Umbanda e o Candomblé.

Umbanda: não se cobra nada por nada, nem pelos atendimentos, nem pelas consultas, nem pelas velas que foram acendidas no momento do atendimento para aquele consulente ou que ele precisou levar para acender em sua casa.

Se precisar fazer um trabalho, o consulente compra os elementos pedidos e leva até o Pai de Santo ou para entidade que pediu para que o trabalho possa ser feito.

Ou seja, não existe nenhum custo no atendimento de uma pessoa e para ajudá-la. Tudo é muito simples. Organizado, mas simples, e é claro que não deixa de ser bonito o trabalho, mas não enche os olhos de quem vai assistir a uma gira.

Candomblé: paga-se por tudo, a começar pelo jogo de búzios, e vale lembrar que nada acontece no Candomblé antes do jogo de búzios.

Depois, se for preciso fazer um Ebó, quem faz é o Pai da Casa e cobra pelo trabalho que ele fez. O consulente leva os elementos para realização do Ebó e o Pai de Santo cobra pelo trabalho que irá realizar.

E os valores não são baixos.

Não é raro encontrar candomblecistas na Umbanda. Por este fator, de tudo ser cobrado.

Mas apenas uma observação: o trabalho no barracão (do Candomblé) é lindo. As roupas são belíssimas e tudo é muito bonito e chique, respeitando esta riquíssima tradição. Entretanto, temos aqui uma importante diferença entre Umbanda e Candomblé.

Culto a Nações: Umbanda e Candomblé

Umbanda e Candomblé

Primeiro, o que é o culto a Nações?

São as divisões que o Candomblé têm, são formas de trabalho, como Nagô, Jeje e Angola, entre outras, que podemos e devemos chamar de raízes.

Umbanda: não existe culto a Nações, mas existem algumas variedades de se fazer Umbanda, como já falamos antes. Pode ser uma Umbanda Branca, Sagrada, Mista, enfim.

Candomblé: No culto a Nações, dependendo da nação, são cultuados Voduns, ou seja, temos aqui o culto aos ancestrais, que são considerados quase que Orixás.

Diferenças entre Umbanda e Candomblé: conclusão

Existem muitas diferenças entre a Umbanda e o Candomblé, sobretudo quando estamos falando das nações do Candomblé.

No Candomblé: os Pais de Santo e alguns filhos falam muito em Yoruba, e suas rezas são em Yoruba, o que dificulta o entendimento de quem está na assistência.

Usam alguns dialetos de suas nações. Ou seja, é forte a questão das suas raízes, que só quem é do Candomblé entende.

Na Umbanda: as coisas são mais simples, a reza é simples, as falas são simples. Na verdade, na Umbanda procuramos ser e agir do modo mais simples possível.

Mas apesar de suas diferenças, existe público para as duas, pessoas que precisam de ajuda e se identificam mais com uma do que com a outra.

Ouvi uma vez de um Exu muito querido “que não fui eu quem escolheu a Umbanda, a Umbanda foi quem me escolheu. ”

E isto deve acontecer com todos nós. Não somos nós que escolhemos nossa religião. É a religião que nos escolhe.

Independente das diferenças entre Umbanda e Candomblé, as duas estão aqui para honrar nossos Orixás e ajudar a quem precisa de ajuda, a começar pelos médiuns e Pais de Santo.

Gostou do artigo?

Se sim, compartilhe em suas redes sociais.

Ficou com alguma dúvida, quer fazer algum comentário? Escreva-nos!



Dúvidas no Amor?

Dinheiro?

Emprego?


Nossos Tarólogos Online respondem tudo!


A partir de R$ 9,90

Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas agora mesmo!


Veja também...

setembro 20, 2021

agosto 13, 2021

julho 23, 2021

>