outubro 19, 2021

Bruxaria Natural – Uma visão sobre magia.

Antes de darmos início á nossa série especial de artigos sobre as práticas da Bruxaria Natural, eu gostaria de esclarecer algumas dúvidas que surgem, quando o assunto é “Bruxaria” de modo geral.

A Bruxaria é uma filosofia de vida, dona de muitos conhecimentos ocultos dos povos antigos (pagãos), antes de surgir a religião da Igreja.

Bruxaria Natural – Uma visão sobre magia.
  • Importante relatar aqui que esse texto não tem a intenção de ofender nenhuma religião, praticantes de outras crenças, filosofias espirituais e qualquer instituição religiosa diferente da Bruxaria. Foram apenas adicionados no conteúdo, alguns fatos históricos relevantes ao tema “Bruxaria”.

A Bruxaria trabalha com a nossa ancestralidade, para resgatarmos esses conhecimentos, despertando em nós a própria magia.

Magia essa, que além de utilizarmos instrumentos para rituais e feitiços, é a magia da vida, em sentir a gratidão por fazer parte dessa jornada terrena e acessar as experiências do mundo espiritual, integrando-se com o mundo palpável e o mundo invisível, dos mistérios e de seres encantados.

Ou seja, a Bruxaria nos ensina que a magia está presente em tudo; desde o broto da planta que desabrocha uma flor, no arco-íris que se forma após a tempestade, como durante o preparo das suas sagradas refeições diárias.

Para os praticantes da Bruxaria Natural, cada instante, ação e percepção, são pura magia e esse poder também provém de nós.

Bruxaria Natural – Tempos difíceis…

A Bruxaria ainda é um tema que gera polêmica para aqueles que não a conhecem, para uns desperta a curiosidade, para outros causa medo.

Em relação ao medo, muita informação sobre o tema ainda é deturpada, por conta da “mancha” que provocaram na história dessa arte de viver tão linda e poderosa: Inquisição.

A Inquisição formou uma época obscura, ao qual se considerava heresia tudo que não fazia parte das crenças e práticas da Igreja.

Com isso, praticantes da Bruxaria (mas não somente eles), que não confessavam a respeito de suas crenças particulares, sofriam muitas ameaças e torturas, até a morte.

Aos poucos, alguns foram convertidos á religião e dogmas da Igreja, outros levaram para o túmulo a sua fidelidade ao culto da Bruxaria.

Para aqueles que possuíam outros costumes e com o surgimento do Patriarcado, a crença na Deusa não fazia sentido e até nos dias atuais isso ainda reflete em aspectos que envolvam “energia feminina”, como o próprio poder da mulher na sociedade, que ainda luta para se ter reconhecimento e igualdade entre os homens.

E o Deus da Bruxaria, que para os antigos povos era cultuado como símbolo do Sagrado Masculino, em complemento e harmonia com a força do Sagrado Feminino da Deusa, fora chamado de Diabo pelas mentes ignorantes e preconceituosas daquela época.

Um dos motivos disso, foi porque o Deus da Bruxaria era visto como um ser “meio humano, meio animal”, com chifres e adorado por mulheres que geralmente dançavam em volta da fogueira.

Portanto, chifres e fogo… só podia ser o diabo!

O que foi um grande engano, principalmente porque na Bruxaria não existe e nunca existiu a figura do diabo; essa crença não faz parte da cultura pagã, ela surgiu após a existência da Bruxaria.

Bruxaria Natural – A imagem do Deus e seus simbolismos

Vamos desmistificar aqui, como realmente era compreendido o Deus das bruxas pelos seus praticantes.

Deus das bruxas

Cernnunos (pronuncia-se “Quernunos”) ou Cornífero (dependendo da vertente da Bruxaria a ser cultuada, existem outros nomes, mas os citados acima são os tradicionais dos cultos mais antigos) é o Deus da vida selvagem, protetor dos animais, Senhor que cuida das matas, bosques, campos e florestas.

O Deus também representa a passagem das estações do ano, já que as bruxas sempre estiveram conectadas com os ciclos da vida e com toda forma de natureza. Até hoje assim é, principalmente na Bruxaria Natural.

Cernnunos ou Cornífero carrega esse nome, por ser representado com “cornos” (chifres), que simbolizam força, virilidade e fertilidade.

Perceba como na natureza os animais machos com maiores chifres são os mais dominantes ou quando estão para acasalar, demonstram a sua força (ás vezes, em disputas com outros machos), para impressionarem as fêmeas.

Existem diversas representações dos pólos feminino e masculino (energias presentes em todo o universo, na Terra, natureza e em nós seres humanos, essas energias são complementares uma á outra, formando o equilíbrio das coisas), no caso do pólo masculino, um forte símbolo que existe em variadas culturas e filosofias, é o Sol.

A energia solar proporciona vitalidade, vigor, é uma energia ativa, próspera, racional e fértil, trabalha com o nosso lado consciente. São esses alguns aspectos do Sagrado Masculino.

Portanto, essa era a real representação da divindade Cenunnos, para os praticantes da Bruxaria.

Bruxaria Natural – A imagem da Deusa e seus simbolismos

Assim como o Deus e o Sagrado Masculino têm seus simbolismos, o Sagrado Feminino e a Deusa também possuem as suas representações.

Dependendo da vertente da Bruxaria, seus nomes podem variar e em algumas crenças a Deusa têm diversos aspectos que são expressados através de outras divindades femininas, pois a Deusa possui várias faces, assim como um dos símbolos que mais está ligado à sua energia do Sagrado Feminino: a Lua.

As regências lunares complementam as solares e são elas: intuição, sentimentos e emoções, fertilidade, maternidade; as fases lunares correspondem aos ciclos menstruais que as mulheres vivenciam.

A energia lunar trabalha o nosso lado inconsciente (em que habitam as nossas memórias e desejos mais profundos) simbolizando assim a ligação com o pólo feminino.

Ela é a Grande Mãe geradora da vida, ao qual tudo surge e retorna para ela em seu Útero Sagrado.

Inclusive o próprio Deus, que em seus mitos durante a passagem das estações do ano, nasce, envelhece, morre e novamente é gerado pela Deusa.

Era assim que os povos antigos e praticantes da Bruxaria compreendiam os Ciclos da vida e da morte; toda essa sabedoria sobreviveu e percorreu através das brumas do tempo, chegando aos dias atuais e possibilitando a reconexão e o resgate ao culto e às práticas.

Bruxaria Natural – Dos antigos à modernidade

Durante os cultos da Bruxaria antiga e ancestral, foram surgindo pelo mundo outras formas de praticá-la, com tradições, iniciações de sacerdotisas e sacerdotes que formaram seus covens (grupos fechados de praticantes) em diferentes culturas e regiões até chegarmos na Wicca.

A Wicca surgiu entre os anos 50 e 60, fundada pelo Sacerdote Britânico Gerald Gardner.

A Bruxaria Wiccanianase agregou dos conceitos dos cultos antigos, como também da conexão com a natureza, ervas, cristais, elementos e elementais presentes na vertente do nosso tema central: A Bruxaria Natural.

Mas a Wicca, mesmo com base em cultos antepassados, possui seu sistema de magia e filosofia próprios, como a Roda do Ano (calendário pagão) com datas das celebrações dos sabás das bruxas e honrarias em rituais, feitiços e invocações de diferentes divindades existentes em outras mitologias, como Celta, Nórdica, Egípcia, entre muitas outras.

A Wicca, portanto, proporcionou métodos para continuar a praticar a Bruxaria ao longo dos anos, adequando-se aos dias atuais, sem deixar os conhecimentos e mistérios dessa filosofia se apagarem.

Para compreender melhor, leia o Artigo sobre a Bruxaria Wicca, aqui no Blog: WICCA, a bruxaria moderna. Sabás, deusas, feitiços e mais.

Bruxaria Natural – Como funciona?

A Bruxaria Natural é um termo recente pode-se dizer, designado à filosofia, mas na verdade ela é uma das formas antigas de bruxaria.

Desde a antiguidade, haviam curandeiras, parteiras, benzedeiras, artesãs e são essas as figuras principais que representam as Bruxas Naturais.

  • Observação: independente de gênero, o feminino costuma ser mais utilizado a respeito de Bruxaria, pois naquela época era mais comum que as mulheres se destinassem a esses ofícios.

Quando citamos a palavra “Natural”, nos referimos a natureza e a naturalidade das coisas.

A Bruxaria Natural não possui vínculo religioso (porém, não priva alguém que seja de uma determinada religião, praticá-la), também não se vincula a alguma tradição específica de bruxaria.

É uma prática mais livre e liberal, em que o templo sagrado é a própria Natureza e os elementos que estão presentes nela, são as ferramentas ritualísticas.

Ervas, raízes, flores, folhas
  • Ervas, raízes, flores, folhas
  • Madeira, cascas
  • Pedras
  • Ossos
  • Vestígios de animais (pele de cobra, chifre de boi, penas, por exemplo, mas sem matança e sim, encontrados na natureza ou adquiridos em lojas específicas, nos dias de hoje)
  • Cristais
  • Carvão
  • Sal
  • Resinas
  • Alimentos

são alguns exemplos, utiliza-se também instrumentos como a vassoura e o caldeirão de ferro, punhais, símbolos de poder, amuletos, almofariz, pilão, entre outros, para a prática.

Bruxaria Natural – A origem da Bruxa velha nos contos de fadas e filmes

Não é novidade para ninguém que nas histórias (principalmente de princesas) e no cinema, existe a figura da bruxa velha, feia e na maioria das vezes ela é má.

Essas características correspondem muito com as Bruxas Naturais (o período da inquisição também contribui para criar essa imagem horrenda e maldosa das bruxas, causando medo às pessoas da época e infelizmente isso existe até hoje).

O que ocorria era que nos vilarejos, campos, aldeias, as curandeiras, benzedeiras e de ofícios relacionados, geralmente eram senhoras ou mulheres mais maduras, que possuíam determinados conhecimentos e prestação de serviços que outras pessoas não tinham acesso.

Elas preparavam óleos, infusões, poções, remédios, venenos…

E por um lado, era uma forma de serem temidas.

Muitos requisitavam de seus serviços sem saber ao certo qual era a fonte dos conhecimentos adquiridos por elas, por isso muitos praticantes nomeiam a Bruxaria de “A arte ou o ofício dos sábios”, afinal, os povos antigos não tinham a tecnologia e nem os recursos de estudos que fomos recebendo ao longo dos anos, ou seja, eram elas as sábias e as anciãs que com suas experiências de vida, conexão com a natureza e com as forças divinas, tinham o poder para fazer as coisas acontecerem; esse é um dos grandes dogmas da magia: moldar, criar e manifestar.

Geralmente essas mulheres eram viúvas ou não haviam se casado, então viviam isoladas; se tinham filhas, passavam seus conhecimentos á elas, para mais tarde na vida adulta seguirem os passos das mães.

Portanto, os contos de fadas, histórias de princesas e o cinema, se apegaram muito a essa imagem da bruxa velha e má; tornou-se uma visão “comum” relacionada às bruxas.

Bruxaria Natural – Baba Yaga

Por falar em contos, vou citar um para vocês que eu adoro por sua forte simbologia e ensinamentos.

Baba-Yaga-bruxaria-natural
Baba Yaga

O mito de Baba Yaga vêm dos povos eslavos e varia entre muitas versões, a maioria deles é que ela é uma Bruxa velha e maldosa que inclusive teria servido de inspiração para os contos de João e Maria (você lembra dessa história para crianças malcriadas?).

Eu vou contar essa história na visão de nós bruxas, que compreendemos o mundo de forma diferente, sempre tirando alguma lição e interpretando as linguagens simbólicas.

Características de Baba Yaga: uma senhora que vive isolada na mais profunda área das florestas. Sua cabana é construída de ossos, madeira e tem pés de galinha, fazendo com que se movimente para outras regiões e ela voa dentro de um pilão (eis aí o arquétipo de bruxa natural da antiguidade que acabamos de citar).

Compreendemos que Baba Yaga é a Deusa ou espírito protetor que habita as florestas e o ser humano desde os primórdios deveria saber que a força da natureza não pode ser domada, nem vencida por ele, portanto, deve ser muito respeitada.

Baba Yaga com sua casa de pés de galinha, faz rondas entre as matas selvagens, protegendo a área contra maldades e ameaças.

Em seus mitos, dizem que ela não gosta de mentiras e atos desrespeitosos e se precisar punir quem agir de tais modos, ela o faz impiedosamente. Assim é a ação e força da Mãe Natureza, quando maltratada pelas mãos humanas e em sua revolta causa as catástrofes ambientais que registramos.

Na Rússia, as famosas bonequinhas “Matrioskas” são associadas às lendas de Baba Yaga.

Tradicionalmente são três bonecas e uma encaixa dentro da outra, formando uma única boneca com outras duas dentro, de tamanhos menores.

É a representação do aspecto anciã de Baba Yaga, ela representa as avós, que dão origens as mães e depois dão luz às filhas.

Um dia as avós partem, mães tornam-se avós, filhas tornam-se mães e assim por diante flui o ciclo de vida e morte, tão presentes nas crenças e entendimentos da Bruxaria.

Baba Yaga para as bruxas é uma Deusa selvagem, protetora, que representa esses ciclos naturais e inevitáveis, ela é a sabedoria das senhoras, é as avós e mães que mesmo amando seus netos e filhos, não admitem desobediências e tratam de corrigí-los.

Sua cabana de ossos, madeira, pés de galinha e seu pilão, são artefatos muito representativos na prática da Bruxaria Natural.

  • No próximo artigo:

Citarei com maior aprofundamento, o significado dos itens e instrumentos utilizados nas práticas da Bruxaria Natural.

Aguarde! 😉

Conclusão:

Por muitos anos a Bruxaria foi alvo de perseguição e até hoje algumas pessoas não sabem ao certo o porquê disso, mesmo com o passar dos anos, ainda existe muita falta de entendimento e preconceito a respeito dessa prática que não tem intenção alguma de provocar o mal.

A Bruxaria é uma arte que respeita a natureza, as leis do universo e faz com que seus praticantes tenham maior consciência sobre os ciclos da vida, as estações do ano, os alimentos que consome, os estudos que podem fazê-lo evoluir e tornar-se uma pessoa melhor, com base nos ensinamentos dos ancestrais e que através do poder da magia dos elementos ao redor e dentro de si mesmo, é possível resgatar e acessar tais conexões.

A Natureza é divina e como filhos dela, carregamos a centelha divina capaz de transformar o mundo e as situações em algo melhor.

Essa é uma das principais missões daqueles que percorrem o caminho dos povos antigos, principalmente por meio da Bruxaria Natural.



Vanessa Ramos

Vanessa Ramos


Praticante de Bruxaria, terapeuta holística, apaixonada por esoterismo. Minha ligação com a espiritualidade trouxe magia à minha vida, na escolha da área profissional e nos hábitos do dia a dia. Adoro ler, escrever e estudar os mistérios ocultos.

terapeuta vanessa ramos

Dúvidas no Amor?


Nossos Tarólogos Online respondem tudo!


A partir de R$ 9,90

Consultores VidaTarot

Coloque um ponto final nas suas dúvidas agora mesmo!


Veja também...

novembro 4, 2021

outubro 20, 2021

setembro 27, 2021

>